Roendo unha

Coisa feia não é verdade? Ficar roendo unha, arrancando ela no dente, literalmente (kkkkkkkkk), até sair sangue... Foi o que me lembrei quando fui participar de um seminário de vida no espírito santo na comunidade água viva: eu era viciado!

Não podia ver um filme de suspense ou de ação e lá se estava meus dedos na boca sendo "flagelados"...

O tempo foi passando... passando... passando...
Nem precisava disso né? "passando... passando... passando..."
kkkkkkkkkkk

Mas enfim, percebi que aquilo não era legal, então comecei a me policiar. Sempre que percebia "Dedo na boca!", dizia: "corre galeraaaaa! Chama o Cotam, o Bope, as forças armadas!" A sirene começa a tocar, e eu simplesmente tirava o dedo da boca...

É eu sei, não precisava da novela toda, mas um draminha as vezes deixa o negócio engraçado...
XD~~

Deixar de roer não foi fácil, sempre tinha "as quedas". Mas, com o tempo, eu parei de me policiar, porque agora algo novo se tornou meu hábito: aparar as unhas com uma tesoura, elas tavam grandes pra caramba veio!!!

Daí, com tudo isso, com o tornar hábito, eu não precisei ficar pra sempre numa neurose com cara de zumbi dizendo "não roer unha, não roer unha..."
kkkkkkkkkkk

Comecei a lembrar também dos meus pecados, dos meus erros, minhas falhas, fiquei pensando: "poxa, com a graça de Deus consegui vencer essa parada de roer unha, imagina o que eu enfrento, que é pior?" De fato, o tamanho da graça de Deus, do olhar de misericórdia Dele, é o tamanho da ação Dele na vida do pecador, principalmente quando queremos parar com certas coisas.

Então galera, deixar de roer unha não foi fácil e, assim como no pecado, a gente não fica pra semrpe lutando: chega uma hora que a santidade se torna um hábito, um lance maneiro de se viver, e a gente vive com qualidade, apreço, e como diz numa música do Ceremonya "igreja é lugar da mulecada", então, mulecagem! (com respeito, claro!)

Um abraço galera, tamu junto em Deus!
3