Lectio Divina (Eclo 38, 9-15): A confiança em Deus que gera cura


A Lectio de hoje é uma continuação da passada. Ela fala mais uma vez sobre a cura de doenças e sobre o serviço dos médicos.

Logo no início, o autor sagrado nos exorta para que, se ficarmos doentes, não nos descuidemos e peçamos logo a cura ao Senhor. De fato é o Senhor quem supre nossas necessidades e Dele é que parte todas as coisas, visíveis e invisíveis (veja o credo de Nicéia). Nossa confiança não deve estar nos remédios ou nos médicos, embora devemos sim contar porque também fazem parte da criação do Senhor. Nossa confiança deve estar em Deus.

Também podemos observar sobre a higiene, no quesito de purificar as mãos, para não pegar uma doença. Porém, o autor frisa a purificação do coração de todo pecado. De fato, o pecado nos separa de Deus e nos faz viver no fundo do poço. Muitos pecados até nos fazem ficar doentes. Quando a alma padece, o corpo também padece. Por isso devemos buscar nos purificar não só no corpo, mas na alma.

Uma das melhores formas de fazer penitência e purificar o coração é sendo caridoso, ajudando quem necessita. Assim nos mostra o autor sagrado. precisamos nos abrir a sermos instrumentos de Deus na vida dos necessitados, partilhando do que Deus nos dá conforme a possibilidade de termos. E olha que é imensa, pois Deus nos dá abundantemente para que exista a vida fraterna, a partilha.

Não é que devemos contar apenas com oração e penitência para sermos curados, assim observa o autor. Precisamos depois da oração, depois de colocar Deus em primeiro lugar, buscar o médico, nos consultar, pois o doente precisa sim ser atendido por um especialista no seu caso. Mesmo que aconteça um milagre e a pessoa seja curada, ainda sim é importante ir ao médico para comprovar o milagre e, dessa maneira, ser testemunho do poder de Deus em sua vida.

Existem casos em que o Senhor, na sua livre vontade, coloca a cura inteiramente nas mãos dos médicos. Deus deu a nós dons e talentos para pormos em prática e quem estudou para isso, quem adquiriu na vida o dom da medicina, colocará em prática executando seu serviço ao outro, que está doente.

O médico que crê em Deus também pedirá ao Senhor pelos seus pacientes, para que sejam curados. E mesmo que o médico não creia, ainda sim o paciente deve ir, pois não é culpa deste que aquele não creia e Deus sabe da fé de cada um. Existem muitos casos em que o paciente foi instrumento de Deus para mostrar a um médico descrente que existem milagres. Louvemos a Deus por isso!

Por fim, o autor sagrado diz uma palavra bem pesada: quem peca contra o criador, que caia nas mãos dos médicos. O que ele quis dizer com isso? Acredito que ele nos mostra que é melhor colocar nossas vidas nas mãos de Deus e confiar na providência Dele do que apenas nos médicos.

Peçamos a Deus a graça de confiarmos Nele e de sermos pacientes diante de enfermidades. Que Maria Santíssima interceda por todos os enfermos. Louvado seja o nome de Nosso Senhor Jesus Cristo, para sempre seja louvado.
0