Lectio Divina (Eclo 37, 1-6): A verdadeira amizade


Hoje a lectio divina vem falar de amizade.

O primeiro versículo já nos alerta que todo amigo declara amizade, mas nem todos são amigos de verdade. De fato, nem sempre a boca diz o que está em consonância em nossos corações. As vezes estamos vivendo um momento de tristeza, mas em vez de procurar ajuda, consolo, guardamos dentro de nós e dizemos a todos os que perguntam que estamos bem. Da mesma maneira, às vezes uma pessoa diz que é amiga, mas no fundo de seu coração não passa de interesse material pelo que o outro tem.

É triste quando um amigo vira inimigo. Mostra a realidade citada no parágrafo anterior. Um amigo verdadeiro nunca se fará de inimigo, mas quem está dizendo ser amigo só para aproveitar, por exemplo, os luxos e dinheiros que o outro proporciona, no dia que for negado, será criada a inimizade.

O autor sagrado questiona de onde saiu tal inclinação perversa que faz amigos se traírem. Sabemos que não lutamos contra pessoas de carne, mas contra principados e potestades (c.f. Efésios 6, 12). Por isso devemos nos revestir de Deus, de oração, da palavra do Senhor, para que nada disso nos atinja e não nos tornemos mais um manipulado que traiu as amizades (c.f. Efésios 6, 13-17).

Existem aqueles que se alegram com o amigo quando está feliz, mas no momento da desgraça, tornam-se hostil, afastam-se. O amigo fiel não faria isso, seria apoio em todos os momentos, principalmente nos momentos que mais precisar, onde mais houver tristeza e aflição.

Ou ainda, quando esse “companheiro” sofre e se faz de apoio quando o amigo está triste, mas na hora da briga, toma o escuto e se defende com palavras ásperas. Nem todo mundo sabe ser amigo. Nem todo mundo sabe oferecer a outra face. Andam vendendo por aí um tal de amor próprio. Amor próprio? Devemos sim nos amar, mas amar exageradamente a ponto de deixar de lado o outro? Olhe para a cruz e veja “o amor próprio” de Jesus…

Por fim, o autor sagrado nos adverte a não esquecer de nossos amigos, ainda mais quando estivermos na prosperidade, que cuidemos dos nossos amigos que precisam. Peçamos a Deus a graça de sermos amigos, pois perdemos muito tempo querendo ter, e nos esquecermos de ser. Que o Espírito Santo revigore nossa vida e nos transforme em boas pessoas para nós e para os outros. Louvado seja o nome de Nosso Senhor Jesus Cristo, para sempre seja louvado.
0