Lectio Divina (Eclo 34, 23-26): Estamos vivendo uma verdadeira religião?


Hoje a Lectio vem falar sobre as contradições que existem em algumas pessoas ditas religiosas.

O autor sagrado mostra que existem os que constroem e os que derrubam e que tudo o que conseguirão com isso será a fadiga dos dois lados. É preciso construir e apoiar, em vez de construir e destruir. Muitos projetos bonito são barrados por causa de mesquinharia e inveja, mas o Senhor está conosco e é na batalha pelo Sua vontade que tudo acontece. Não podemos desistir de um plano que Deus colocou em nossos corações, mesmo que seja difícil.

O autor ainda diz que um abençoa e o outro amaldiçoa. Qual dos dois será ouvido pelo Senhor? É uma pergunta retórica que ele utiliza, pois sabemos que o Pai Celeste é todo bondade, é todo amor e nos pede para abençoar, em vez de amaldiçoar (c.f. Atos 3, 26 e Mt 5, 43-48). Precisamos observar nossas atitudes para ver se estão sendo atitudes de bênção ou atitudes de maldição. Sejamos algo a mais na vida das pessoas, isso é a verdadeira religião, uma religião que soma.

Logo após ele fala da purificação do contato com cadáver e depois voltar a tocar o mesmo. Existe uma lei dos judeus sobre a purificação que trata desse tipo de coisa, por isso o autor sagrado dá este exemplo. Claro que, pensando bem, não faz sentido alguém fazer algo para “purificar” o toque a um cadáver e depois tocar de novo. Com o que isso pode ser comparado? O autor sagrado faz questão de colocar um último exemplo que explica bem isso.

Ele nos diz que dessas maneiras que ele citou é a pessoa que jejua pelos seus pecados e voltar a cometê-los. O pecado é uma pedra de tropeço na vida na vida de todos, colocada pelo inimigo de Deus para feri-Lo. Nem sempre é fácil se desvencilhar de um pecado, mas precisamos estar atentos e fortificados, buscando a palavra, a igreja e a oração. De fato é contraditório pecar, se arrepender, se reconciliar com Deus e depois, pecar o mesmo pecado. Claro que só entende a luta do pecador o próprio Deus, ele mesmo e as pessoas que sabem se colocar no lugar do outro.

Peçamos a Deus a graça da vitória sobre as tentações e que nós sejamos a luzinha que precisamos ser, que Ele nos chama a ser, nesta terra para outras pessoas. Louvado seja o nome de Nosso Senhor Jesus Cristo, para sempre seja louvado.
0