Lectio Divina (Eclo 33, 16-18): Vocação como missão de acolher pessoas


Hoje a lectio é um encerramento do que foi visto sobre os preceitos ensinados pelo autor sagrado que pudemos ver nas lectios anteriores.

Ele fala que ele é o último a ficar desperto, como aquele que colhe restolhos atrás dos vindimadores. O que é um vindimador? É aquele que colhe as uvas. Ou seja, a função deste autor sagrado, sua vocação, é estar atento por detrás, sem que seja visto, colhendo o que ainda tenha ficado para trás de uvas. É uma bela missão. Se considerarmos as uvas como sendo as pessoas, podemos notar que, de fato, muitas pessoas estão para trás, na margem, sem saber quem é Jesus, sem entender os caminhos da salvação. Confesso que existem os que não querem entender, mas não acredito que o autor esteja falando deles, mas sim dos que no fundo procuram a Deus.

O autor fala que com a benção do Senhor, ele atingiu sua meta, encheu o tanque da mesma maneira como o vindimador. Isso mostra que a quantidade de pessoas que fica para trás é tão grande quanto a quantidade de pessoas que buscam conversão. Por isso, é preciso evangelizar sempre. E não precisamos de muitas coisas para isso, basta falar de Deus onde o Senhor nos colocar na vida: trabalho, reuniões, família, namoro, etc.

Por fim, o autor ressalta que seu trabalho não era só para ele, mas também para todos os que procuram a instrução. De fato, de que serve uma sabedoria que guardamos para si mesmo? Ela apodrece e morre como uma cesta de frutas não partilhada. Para aqueles que querem, o Senhor derrama sabedoria e instrui os caminhos.

Peçamos a Deus a graça de viver a sabedoria, de aprender do Espírito Santo os melhores caminhos que podemos tomar na vida. Que o Senhor nos ensine a amar e a viver segundo sua vontade. Louvado seja o nome de Nosso Senhor Jesus Cristo, para sempre seja louvado.
0