Lectio Diária: Mc 2,23-28

       As vezes precisamos de um lugar para parar, refletir e chegar mais perto de Deus em oração. Mas nessa caminhada podemos ter fome, pois somos seres humanos.
       O legalismo religioso nos faz agir por obrigação e não por amor. Era assim com os fariseus e mestres da lei, mas também é assim com muitas pessoas que vivem a colocar pesados julgos na vida dos outros e se esquece de compreender a situação dessas pessoas. Por isso julgaram os apóstolos. 
       Jesus, no entanto, sendo a própria verdade, não se deixa levar por falso moralismo e busca relembrar aos fariseus a história onde o rei Davi e seus companheiros passavam fome. 
       Jesus continuou, narrando um resumo do que o rei Davi fez, comendo dos pães oferecidos a Deus juntamente com seus companheiros, embora estes pães fossem por lei apenas aos sumos sacerdotes. Jesus mostra que acima da Lei, nós temos necessidades que precisam ser supridas. Por isso Ele não nos condena pelo que fazemos, antes de tudo analisa nossa motivação e olha o quando estamos ou não sendo precionados pelas nossas necessidades. 
       Quando Jesus diz que o Sábado foi feito para o homem, e não o homem para o sábado; isso me faz pensar no amor de Deus por nós. Amor tão profundo que criou todas as coisas para nós, para nos suprir. Vejamos outros exemplos baseados no de Jesus: Deus fez o oxigênio para o homem, e não o homem para o oxigênio; fez a ciência para o homem, não o homem para a ciência; fez a água para o homem, não o homem para a água. Você pode pensar em infinitos exemplos baseados neste exemplo de Jesus. 
       Assim Jesus declara também ser o Senhor do sábado, o Senhor das nossas necessidades, dos nossos desafios, das nossas lutas. Ele é a própria verdade e por isso não se deixa enganar por ilusões, fantasias. Precisamos nos apoiar Nele, que tanto nos ama e nos quer felizes, para chegarmos na abundância que Ele promete para nós  (c.f. Jo 10, 10).
0