Mais um natal

Ah as mesas preparadas, a noite de luz, o peru no forno. Confraternizações, celebrações, advento, preparo do coração. É uma época onde compramos presentes, onde damos algo material a quem nós estimamos.

Adornamos as casas, tiramos a árvore empoeirada, lavamos e deixamos bonita e iluminada. Há quem pinte suas casas, deixando-as como nova. Todos os anos passamos pelo mesmo processo, pelo mesmo caminho de acolhida ao menino Deus.

Mas quanto isso tem nos mudado? Quando isso tem nos tocado? Quanto o menino Jesus, pobrezinho numa manjedoura, tem nos ensinado sobre humildade? Aquele que mais ou menos trinta e três anos depois, mesmo sendo mestre e Rei do Céu, lavou os pés de meros humanos, escolhidos como discípulos e apóstolos?

Temos ouvido falar de uma limpeza do coração, de arrumar a casa do nosso interior para acolher Jesus dentro de nós. Há quem se utilize da limpeza da casa como uma espiritualidade para também lavar a alma, fazer penitência, confessar e clamar cura. É uma boa ideia, mas temos perpetuado a nossa conversão? Ou será que todos os anos estamos na mesma e nada muda?

Há quem espere a mudança do lado de fora, que alguém chegue com uma grande notícia, ou que ganhemos na mega sena para começar um ano próspero, ou os que procuram só um emprego, ou mesmo os que só querem um prato de comida…

Será que temos aprendido a ser felizes com o que temos? Temos aprendido que o natal de Jesus é todos os dias? Todos os dias devemos limpar a nossa casa, devemos varrer, lavar a louça e enxugar. Já pensou se só fizéssemos efetivamente isso uma vez por ano? Quanta louça suja… Quanto poeira, quanta imundície e até teias de aranha… Quanta bagunça e entulhos! Pois é assim que fica o nosso coração quando só o limpamos e o organizamos na época do natal.

Todo dia é um novo dia, todo dia é um novo natal. Demos o melhor de nós, não o troco do que nos deram. Sejamos motoristas do ônibus de nossas vidas, não meros trocadores de migalhas miseráveis a passageiros que nem sabemos se ficarão, ou se descerão na próxima parada. Por isso, não façamos desse natal só “mais um natal”, mas o natal que firmará o natal do menino Deus todos os dias em nossos corações, nos trazendo paz, fraternidade e até amor por quem fala mal de nós ou nos faz mal.


Que a paz de Cristo esteja conosco, irmãos, até a próxima!
0