Felicidade, onde estás?

Olhando em nossa volta, percebo coisas singulares que se perdem à percepção vulnerável humana:
O sabor de um chocolate derretendo em nossas bocas;
O atrito da areia em nossos pés quando a acariciamos com os mesmos;
O relento batendo no rosto;
O vento nos fazendo arrepiar em calafrios;
O som das folhas que farfalham com a vinda dos ares;
O violino, que parece não tocar os tímpanos, mas o coração;
O jasmim exalante que chega no cérebro através do cheiro;
O incenso, que através do nosso respirar ajuda a abrir sadiamente as portas da mente;
O conjunto das imagens de uma bela paisagem: meia lua fina, estrela radiante, nuvens que parecem ter sido colocadas inteligentemente em seus cantos, e um céu escuro, mas claro pela luz refletida do sol na lua, com um leve tom em vermelho no horizonte, por conta de um sol que acaba de se por;
A textura das pétalas de uma rosa;
Ou mesmo a de um beijo...
Ha o abraço... O que deixamos de sentir no abraço?!
Nisso percebo que, de algum modo que não compreendo, é como se existisse alguém que todos os dias monta todo um arranjo para nos agradar, nos fazer felizes...
Sim, a felicidade, tão sutil, mas tão grandiosa, é nos dada de presente dodos os dias de nossas vidas.
Só em sentir profundamente o ar que entra nos nossos pulmões, não há palavras que expliquem...
Mas é triste saber que são inúmeras as vezes que rejeitamos a felicidade.
Nós a tornamos banal, de tanto vê-la, deixa de ser importante, não porque de fato o deixou de ser, mas porque no nosso coração, nos perdemos nas regras escravistas da ignorância, que nos roubam a espontaneidade e a arte de viver feliz...
Sim, viver feliz é uma arte, precisa ser treinada, precisa ser enxergada, cheirada, tocada...
O que é a realidade?
Não seria aquilo que podemos sentir?
Mas se deixamos de sentir, como podemos dizer o que é real e o que é ilusão?
E quantas vezes vivemos a contradição de ser feliz sem sentir tudo o que nos rodeia?
Ha felicidade, onde estás?
No momento que sentirmos a realidade que nos envolve, perceberemos que somos felizes!
E se somo felizes, mas não sentimos, talvez seja a hora de para e se perguntar:
O que é a felicidade?

Um abraço a todos, e feliz ano novo!
Deus abençoe, fé em atitude pra vocês!
0