Os campos


Eram dois grandes campos, divididos por uma grande muralha com doze grandes portões que os ligavam. De um lado tínhamos árvores e plantios bem verdes, esperando para dar frutos, enquanto que no outro campo as plantas tinham folhas secas e amareladas plantadas numa terra árida.

Nos doze portões haviam doze servos, um para cada portão. Eram como sentinelas, que não deixavam ninguém passar de um campo ao outro.

No campo verde, quando dava-se fruto, logo era germinado e ele ajudava na terra. No campo seco, dificilmente havia trabalho e não haviam frutos para dar continuidade ao plantio, já desfalecido.

Com o passar dos tempos, alguns sentinelas se desfizeram do seu trabalho, por desobediência, logo abriu-se passagens entre os dois campos.

Alguns trabalhadores dos verdes campos resolveram entrar no campo árido e pegar algumas semente, pois alegavam que naqueles faltavam sementes que nestes possuíam.

O dono do jardim verde chega em suas terras, pois sabia o que estava acontecendo, e diz: "Mesmo com tudo o que dei a eles, mesmo assim querem novos frutos? Que assim seja, terão novos frutos, contanto que não trabalhem na terra árida."

Outros jardineiros resolveram adubar a terra árida, fazendo com que algumas pequenas folhas verdes nascessem no lugar de morte. Lembro-me, dessa forma, de uma passagem bíblica onde o Cristo diz: "Compreendei isto pela comparação da figueira: quando seus ramos estão tenros e crescem as folhas, pressentis que o verão está próximo. Do mesmo modo, quando virdes tudo isto, sabei que o Filho do Homem está próximo, à porta. Em verdade vos declaro: não passará esta geração antes que tudo isto aconteça. O céu e a terra passarão, mas as minhas palavras não passarão."

O dono da terra assim o disse: "Meu filho esta em Mim, assim como Eu estou Nele. Se nas terras áridas as folhas verdes começam a aparecer, significa que o tempo está próximo..."

Logo Ele é interrompido por uma voz suave: "Você poderia dar a imortalidade para eles e ainda sim pediriam mais, nunca vi gente com tanta sede. Eles pegam tantas sementes dos meus campos... Veja como é perfeito e maravilhoso, eu agora sou dono do campo".

O Dono da terra diz: "A verdade é que só há um único dono, e no fim o julgamento será severo. Aos revoltosos, ranger de dentes, aos fieis, os campos inteiros que até agora cultivados foram. Tenham cuidado meus filhos, pois é assim que o falso dono de terras engana, com sua terra árida onde a dor só se percebe com o passar de dias em que nela se permanece."
0