Lectio Divina (Eclo 36, 21-27): Feliz quem encontra um semelhante!


Esta palavra de hoje vem nos mostrar o valor de uma mulher e como é feliz o homem que encontra uma esposa semelhante.

Logo no primeiro versículo o autor sagrado mostra que existem mulheres que aceitam qualquer marido e existem aquelas que não são iguais a estas. Imagino que sejam aquelas que escolhem o melhor pra elas. De fato, uma pessoa desesperada para casar, o que cair na rede, é peixe! Não podemos viver desta maneira. Precisamos saber esperar o tempo de Deus para agir em nossa vida amorosa e também não devemos apressar, mesmo que tenhamos conhecido alguém bacana, as fases de um relacionamento. É preciso já viver uma amizade para nela descobrir se existe compatibilidade de gênio, para descobrir se deve evoluir para algo mais ou se deve permanecer na amizade.

O versículo seguinte fala da beleza da mulher, que alegra o rosto e supera todas os desejos do homem. Logo após, o autor explica que se nos lábios dela existe bondade e doçura, o seu marido é o mais feliz dos homens. É aí que mora a beleza de uma mulher. No seu caráter, na sua doçura, no seu sorriso, nos seus modos.

Logo após vem o versículo central da palavra de hoje. O autor revela que quem adquire esposa tem o começo da fortuna, pois é auxiliar semelhante a ele e coluna de apoio. Uma esposa semelhante a um homem e um marido semelhante a uma esposa é justamente quando existe essa compatibilidade. Os dois são semelhantes, mas não iguais. Não existe ninguém que seja igual um ao outro. Mesmo quando se trata de gêmeos, existem muitas diferenças em suas personalidades. Ela é uma coluna de apoio, como também o marido o é para a esposa. Ambos se sustentam diante dos desafios da vida. Por isso é feliz um homem que encontra uma semelhante, ou uma mulher que encontra um semelhante. Foi como disse Adão: “Eis agora aqui o osso de meus ossos e a carne de minha carne” (c.f. Gn 20-23).

Onde não há cerca, a propriedade é saqueada e onde não há mulher, o homem vagueia gemendo. Essa comparação feita pelo autor sagrado revela a importância de se ter alguém e ser de alguém. De fato, a mulher é para o homem um apoio nos momentos difíceis da vida. Quem não tem essa pessoa para dar palavras de ânimo, de força, para ser um apoio, assim como o homem o seria nos momentos difíceis dela; quem não tem esse apoio vaguei gemendo…

Por fim, podemos ver nas sagradas escrituras uma comparação. O homem que não tem ninho, lar, e se deita onde a noite o surpreende, em qualquer lugar, em qualquer seio; é o mesmo que um ladrão que vagueia de cidade em cidade. Todos nós precisamos de um lar, de uma família que nos sustente e que também sejamos sustento para eles. E chega uma hora que nós alcançamos no tempo oportuno, que só Deus sabe, para gerar a extensão dessa família. Casar, ter filhos, gerar um novo seio familiar. É para isso que o Senhor chama uma pessoa vocacionada ao matrimônio. Um homem não pode ficar vagueando sem rumo, como um ladrão, que pula de relacionamento em relacionamento “roubando” uma mulher que não é dele, ou uma mulher roubando um homem que não é dela.

Supliquemos a Deus que nos ajude a viver nossa vocação de estado de vida. Quem é chamado ao celibato, que não tarde em se casar com a igreja. Quem é chamado ao matrimônio, que clame dia e noite a Deus que prepare o próprio coração para receber aquele(a) que é (o)a semelhante, pedindo orações também aos amigos. Senhor, piedade de nós. Louvado seja o nome de Nosso Senhor Jesus Cristo, para sempre seja louvado.
0