Lectio Divina (Eclo 32, 14-24): A sabedoria é caminho para a verdade


Hoje a lectio vem nos mostrar como ser sábios, como iniciar uma vida de sabedoria, de retidão na vontade do Senhor.

A primeira parte começa dizendo que quem teme o Senhor, aceita uma correção. De fato, a correção é para que façamos melhor numa próxima vez. Quem não aceita palavra de ninguém mas apenas a própria é o orgulhoso e este se afunda nas próprias palavras, que são constante motivo de queda. Quem busca ser corrigido, observando as próprias atitudes e verificando se está fazendo o correto, encontra o favor do Senhor, segundo o autor sagrado.

Dos versículos 15 ao 18, o autor faz uma dualidade entre a pessoa que quer persistir no pecado e a pessoa de bom senso. A primeira vê a correção, a lei, como motivo de queda, encontrando sempre justificativas para seguir os próprios caprichos, não conhecendo o temor. É uma hipócrita que, no mínimo, engana a si mesma. Já a segunda, fica saciada ao investigar a Lei do Senhor, encontrando justiça. Suas ações justas brilham como luz e ela nunca deixa de refletir. Ninguém pode fugir da verdade, pois esta é como um leão imponente, que ruge por todos os cantos do universo. A verdade é imutável, é como a gravidade, onde nunca existirá o dia em que ela dirá que não existe, ou que funcionará ao contrário, ou que fará mais pressão ou menos pressão sobre os seres vivos do planeta terra. É como as leis da física, da matemática, das ciências exatas. Quem pode mudar a verdade? A filosofia reflete, mas a conclusão deve ser real, não uma ficção falaciosa.

Na segunda e última parte da Lectio de hoje, o autor sagrado mostra uma série de pontos importantes para viver bem a sabedoria. São eles:
  • Fazer tudo mediante uma reflexão. Não podemos agir apenas segundo instintos animais. Não digo que estes não sejam importantes, afinal foi mais uma coisa que o Senhor criou para nós e ele já salvou muita gente. Porém, os maus desejos, as más inclinações, o prazer do auto satisfazer sem pensar no outro, tudo isso pode provocar más escolhas na vida. Precisamos pensar antes de fazer, mas não digo que devemos só pensar, mas agir também.
  • Ter equilíbrio. Essa engloba dois versículos. Não devemos andar por caminhos muito acidentados para não cair no chão, nem devemos andar por caminhos sem obstáculos. A dificuldade exagerada afasta, destrói. A facilidade exagerada tem a mesma consequência. O que é fácil demais, não damos valor. O que é difícil demais, não temos forças para alcançar. É preciso temperança em tudo.
  • Acredite. Isso, simplesmente acredita. Acreditar em quem? Em Deus, antes de tudo; em si mesmo; e nos outros. É preciso observar esta ordem. Antes de tudo, confiar em Deus, na Sua palavra, na Sua lei. Como diz a lectio de hoje, quem observa a Lei de Deus não fica frustrado. Depois, em si mesmo. Quem não confia em si, não consegue empreender bem seus sonhos e chamados, pois cria uma barreira para si mesmo que o impede de crescer. Por fim, nos outros, pois o Senhor nos colocou como irmãos para ajudarmos uns aos outros a sermos melhores e, nas vezes que estivemos errados, faz-se necessário ouvir o outro. Apesar disso, a voz do outro nunca deve ser maior do que a voz de Deus.
Peçamos a Deus a graça de vivermos a sabedoria, sabendo discernir as coisas boas e vivê-las. Louvado seja o nome de Nosso Senhor Jesus Cristo, para sempre seja louvado.
0