Lectio Divina (Eclo 30, 14-20): a saúde e a doença


Hoje a lectio vem tratar sobre saúde e doença. Logo no primeiro versículo, é falado que mais vale um pobre robusto e sadio do que um rico cheio de doenças. Até o versículo 16, o autor sagrado vai explicando que vale muito mais a pena ter saúde. A saúde leva a termos condições de trabalhar para garantir o nosso sustento. Já a doença, mesmo a pessoa tendo toda a riqueza do mundo, não a conseguirá se não for através de esforço e com a graça de Deus. Já ouvi aquela pequena oração que dizia: “Que Deus nos dê saúde e o resto, corremos atrás”.

A segunda parte da lectio vem falar, por incrível que pareça, da depressão, da amargura. É incrível porque insisto em dizer que a bíblia é mais atual do que qualquer livrinho aí de auto ajuda. Ela mostra a verdade do Pai e é uma carta de amor escrita por ele através de seus enviados a nós.

Também nos diz que não adianta uma comida maravilhosa diante de quem não pode comer, porque é como ofertar alimento ao túmulo. Além do mais, diz que aquele que é perseguido pelo Senhor, é como o que oferece comida a ídolos, que não podem comer, nem beber. Ou como eunuco abraçado a uma jovem, que observa e suspira mas nada pode fazer. Decerto esse “perseguir” é de maneira pejorativa, ou seja, o deus que castiga aqueles que fazem mal, que idolatram ídolos.

Porém, precisamos trazer a palavra para os nossos tempos. É preciso analisar os fatores históricos que fizeram o autor sagrado escrever dessa maneira. Existe um contexto e, certamente, não podemos analisar algo do passado dentro de nosso contexto. É preciso analisar naquele contexto para trazer a análise para os nossos tempos. Assim faz a nota de rodapé da bíblia, edição pastoral. Ela mostra que as condições básicas de sobrevivência é que nos dá saúde e é isso o que vem nos trazer a palavra de hoje. Até mesmo a questão da alegria, é uma necessidade do homem ser feliz, por isso não pode viver em amargura. Sem essas necessidades básicas, corpo e alma padecem e, como o autor bem compara, é como se tivesse morrido.

Peçamos a Deus a graça de ser ressuscitado por ele que que Ele nos dê tudo o que precisamos em Sua providência. Caso o Senhor supra nossas necessidades, contando claro com a nossa parte nesse mover, teremos saúde, seremos arbusto, nada nos faltará. Louvado seja o nome de Nosso Senhor Jesus Cristo, para sempre seja louvado.
0