Lectio Divina (Eclo 25,1-11): Pontos para a felicidade


A Lectio de Hoje nos três algumas dicas para viver bem a vida e ser feliz. O autor sagrado enumera três coisas que satisfazem a ele e ao Senhor, três coisas detestáveis e dez coisas consideradas felizes pelo autor. Vamos ver ponto a ponto e refletir sobre eles.

Três coisas que satisfazem:
  1. Concórdia entre irmãos: de fato, Jesus resumiu todos os mandamentos em dois, que é amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo (c.f. Marcos 12, 29-31). Portanto, agrada a Deus o nosso amor ao próximo, a busca da concórdia, de vivermos bem uns para com os outros.
  2. Amizade entre vizinhos: precisamos refletir bem este ponto, porque acredito que o autor sagrada trata dos muitos favores que um vizinho faz para o outro. E, num momento de necessidade, um bom desabafo e concelho do vizinho caem bem. Mas hoje sabemos que existem vizinhos que são amigos para falar mal uns dos outros, para fofocar. Isso não é coisa de Deus. A amizade com vizinhos é boa quando traz o bem.
  3. Mulher vivendo em harmonia com o marido: Jesus nos diz que um casa dividida contra si mesmo sucumbirá (c.f. Mateus 12, 25). Assim, se marido e mulher estiverem desunidos, em desarmonia, a família ruirá. Por isso é feliz marido e mulher que vivem em sinergia, buscando resolver os problemas, não criá-los.
Três coisas detestáveis:
  1. O pobre orgulhoso: quem nunca viu uma pessoa que, mesmo sem ter nada, possui um espírito de rico, querendo mostrar a todos que tem o que não tem, não sabe o que é um pobre orgulhoso. Tal atitude é detestável, apesar de ser óbvio escrever, porque gera mentiras e afastam os amigos. Ninguém gosta de uma pessoa orgulhosa, pois ela é individualista, olha apenas para o próprio umbigo.
  2. O rico mentiroso: o que leva uma pessoa que tem muitos bens materiais a mentir? Só pode ser o vazio existencial, a necessidade de aparecer para os outros.
  3. Ancião adúltero e sem bom senso: Esse terceiro ponto é tão importante para o autor sagrado, que ele segue falando um parágrafo sobre ele, mostrando o que se esperar de uma pessoa de idade. Coisas como saber julgar, agir com sabedoria, temer a Deus, dentre outros. De fato, um homem de idade já viveu sua vida. Não tem nada que querer viver coisas como se ainda fosse um jovenzinho.
Dez coisas felizes:
  1. O homem que se alegra com seus filhos: nem preciso dizer muito sobre este, pois quem tem filho que obedece e honra seus pais sabe como é isso. Mesmo quem não tem, quando age bem para com seus pais sabe o quanto isso é gratificante no coração.
  2. O que vive para ver a ruína dos inimigos: Não sei se este ponto causa felicidade, talvez uma alegria momentânea. O autor sagrado vivia numa época onde o povo tinha muitos inimigos, talvez por conta disso tinha essa visão. Jesus nos diz para amarmos até mesmo nossos inimigos (c.f. Mateus 5, 44-48).
  3. O que vive com mulher de bom senso: E a que vive com um homem de bom senso também. De fato, marido e mulher de bom senso constroem castelos e mansões. A família cresce como uma sequoia imponente.
  4. O que não faz trabalhar juntos o boi e o burro: Este ponto deve ser voltado para a agricultura. Naquela época, o povo vivia muito disso. Era a principal forma de profissão. Ou talvez ele usou os animais como símbolo. O boi é forte, puxa o arado sem titubear. O burro não faz nada, puxa o arado com dificuldade. O trabalho desequilibra. É necessário saber alocar as pessoas para o trabalho certo para elas.
  5. O que não peca por palavras: As palavras lançadas são como flechas que não voltam mais, que acertam o alvo e o deformam. Por isso é tão importante não pecar contra por palavras, porque por mais que a pessoa perdoe você pelo que você disse, sempre terá em sua memória o que foi dito.
  6. O que não serve a um patrão indigno: De fato, um patrão assim vai pedir um dia para você fazer uma coisa errada e você terá de fazer, ou perderá o emprego. Melhor sair logo dessa furada e procurar um novo emprego, do que servir de escravo para o mal.
  7. O que encontrou a prudência: Quem toma uma decisão depois de muito pensar, refletir e colocar os pontos nos is, dificilmente errará no caminho a ser tomado.
  8. O que fala para quem escuta: Não sei se já experimentaram isso, mas é algo terrível falar com quem não te escuta. Sentimo-nos como em um monólogo duplo, onde o falante diz e o ouvinte responde com algo que nada tem a ver com o que foi falado. Falar com quem escuta é criar diálogo, é criar laços. Por isso, sejamos pessoas que escutam e que falam, tudo no seu devido tempo.
  9. Aquele que encontrou a sabedoria: A sabedoria é um dom maravilhoso que nos leva a tudo isso que foi descrito pelo autor sagrado na lectio de hoje e muito mais. Ela nos leva ao que é correto, justo e agradável.
  10. O que teme a Deus: O temor de Deus é o que nos leva à sabedoria, pois, como refletimos em outra lectio, o temor ao Senhor é o mesmo que ter uma inteligência prudente, onde nossas decisões são tomadas e pautadas em Deus.
Peçamos a Deus todo o discernimento e a sabedoria necessários para viver bem todas as coisas da vida. Louvado seja o nome de nosso Senhor Jesus Cristo, para sempre seja louvado.
0