Uma pequena reflexão sobre a vontade de Deus


Muitas vezes nos vemos em busca da vontade de Deus e nos questionamos se estamos fazendo a mesma. Mas as vezes nós nos enganamos. Me recordo de uma música que diz: "Deus de aliança, Deus de promessas; Deus que não é homem pra mentir". Deus não é um mentiroso, pois suas promessas se cumprem e são eternas. Como Deus quereria nos lançar em um caminho com prazo de validade para nós dizermos não a ele? Se não é algo que está além do plano material que nos tira deste caminho, como podemos dizer que foi Deus quem quis que nós o deixássemos?

Me recordo de como muitas vezes vejo os relacionamentos amorosos de hoje. Pessoas que começam com uma convicção de que aquele relacionamento é vontade de Deus e, depois, simplesmente terminam por algum motivo que, perdoem minha sinceridade, é muito estranho e tolo. Eu mesmo já usei de argumentos que, depois, notei o quanto só estava tentando justificar a minha vontade. É justo entrar na vida de alguém em namoro, dizendo que é vontade de Deus, e depois chegar para a pessoa e dizer que não é, fazendo-a chorar? Deus quer que machuquemos ou que amemos uns aos outros?

Alguém poderia me questionar e dizer: mas cara, Deus permitiu que eu vivesse esse caminho para que eu aprendesse e, então, pudesse escolher certo numa próxima vez. Disse bem: Ele permitiu. Deus não permitiu o mal? Não permitiu o pecado? Não é porque Deus permite o que é errado, que isso vai ser a vontade Dele. Ele permite apenas porque nos ama tanto, que nos deixou livres para escolher. Por isso nunca diga que algo é vontade de Deus sem ter plena convicção disso, de que você não voltará atrás e seguirá decidido pelo caminho que lhe é proposto. Já pensou padres largando a batina e se casando? Freiras deixando o hábito para viver em pecado? Homens e mulheres se separando e casando-se com outros? O morno, como está em apocalipse, Deus vomita (c.f. Apocalipse 3, 16).

Certa vez ouvi uma partilha do padre Fábio de Melo, onde ele falava sobre a vontade de Deus. Ele dizia que uma parente dele viajava de ônibus e alguém colocou uma bagagem muito pesada na parte de cima. O ônibus virou e aquela bagagem esmagou a cabeça dela. Pergunta: era a vontade de Deus que ela morresse ali daquele jeito, ou alguém escolheu por comodidade colocar a bagagem no lugar errado? O padre disse que se fosse pela vontade de Deus, nós morreríamos de "véi"... Não podemos colocar a culpa em Deus pelas nossas pedras de tropeços e bagunças que colocamos na vida dos outros, ou que os outros colocam na nossa.

O grande questionamento que fica com tudo isso, encerrando este texto, é: tenho feito e buscado realmente a vontade de Deus, ou tenho usado a ideia de "vontade de Deus" para justificar minhas próprias vontades?

Deus abençoe a todos, fé em atitude!
0