Lectio Diária (Eclo 20,1-12): Prudencia no falar e em nossas atividades


Hoje a Lectio se divide em dois temas. Um trata da prudência no falar e o outro trata da realidade que podemos encontrar na vida, independente de posição social.

Quando nosso irmão erra conosco, é preciso que nós o repreendemos, pois é melhor repreender do que ficar irritado com este irmão. No entanto, não adianta falar no momento errado. Como diz a palavra, há repreensões inoportunas. É preciso saber o momento de repreender e o momento de esperar, de calar.

Melhor do que ser repreendido, é admitir a própria culpa e se arrepender, assim diz a palavra. Pois mostra que quem admite, evita o castigo.

Logo após, o autor sagrado faz uma comparação um tanto quanto radical. Ele diz que fazer justiça com violência é tão eficaz quanto o impotente violentar uma jovem. O impotente não tem forças para o fazer. Assim é quem tenta fazer justiça com violência. A violência é ineficaz porque no fim leva ao desprazer, leva à geração de mais violência.

A diferença entre calar e responder a uma pergunta está na sabedoria com que nos utilizamos. Existem pessoas que falam demais suas verdades e passam a ser odiadas, enquanto que há pessoas que silenciam e são tidas como sábias. Outros silenciam porque não sabem a resposta, mas quem disse que isso não é ser sábio? O sábio responde através de dois critérios: Ele precisa conhecer e precisa responder no tempo certo.

Aquele que quer impor sua verdade e fala demais, acaba sendo odiado pelas pessoas. É assim que acontece em todas as esferas sociais. Pessoas possuem o que alguns chamam de psicológico ditador, buscando impor sua vontade aos outros, e acaba sendo odiado por todos. Ninguém gosta de ter sua liberdade violada e é exatamente isso o que acontece quando uma pessoa desse tipo vem nos obrigar a fazer o que eles querem. Claro que, moralmente falando, existem coisas que precisamos cumprir. Lembremos que nossa liberdade termina quando começa a do outro.

A segunda parte da Lectio fala que ninguém está livre de nada nesta vida. O rico pode virar pobre e o pobre, rico. O rico muitas vezes, em sua insensatez, perde a capacidade de pensar por conta da fortuna que o leva ao fracasso.

Podemos receber um presente que não vale nada, mas também podemos receber algo que nos valha o dobro do que supomos. Outros procuram glória e encontram a humilhação, enquanto que os humilhados são exaltados (c.f. Mateus 23, 12). E ainda existem os que compram barato pensando em lucrar, e acaba pagando caro por essas coisas.

No fim das contas, tudo vai depender de como anda o nosso proceder. O rico prudente não se deixa levar pela fortuna e não entra em ruína. Quem queria glória, segue as palavras de Jesus e se humilha, se abaixa diante dos outros e se torna um servidor antes de qualquer coisa. Quem quer lucrar, senta, faz as contas, levanta e pesquisa se vale a pena. Isso é ser prudente.

Peçamos ao Senhor da vida que nos conceda a graça da prudência da língua, que hoje pode se traduzir também em prudência no que vamos compartilhar nas rede sociais. Além de prudência em nossas atividades, para não fazermos algo que não irá nos levar à ruína. Que até mesmo nossos sonhos entreguemos ao Senhor, pois só Nele tudo se torna possível. Louvado seja o nome de Nosso Senhor Jesus Cristo, para sempre seja louvado.
0