Lectio Diária: Eclo 11,1-11.

A lectio de hoje nos trás alguns pensamentos que são tão atuais, que parece que foram escritos hoje.

Ela começa com a questão de aprendermos a ser humildes, mesmo que possuamos riquezas e poderes. Uma pessoa sensata não se coloca acima dos outros só porque tem mais, antes é grata pelo que tem e se torna um auxílio para quem não tem.

Quem se coloca acima dos outros pelo que tem, mostra exatamente quem é: um homem vazio, uma mulher vazia. Pois estes colocaram o seu valor em bens perecíveis, mas o verdadeiro valor do ser humano vem de dentro e é isso o que a palavra vem trazer.

Nem podemos exaltar o rico, nem humilhar o pobre, mas lembrar que todos nós somos feitos da mesma coisa, dos mesmos átomos, que por baixo da pele temos as mesmas estruturas e sistemas que sustenta todo o nosso organismo. Não somos superpoderosos, muito pelo contrário. Diante de terremotos, furacões, bombas atômicas, explosões solares, cometas imensos, supernovas, explosões galácticas que nos tornariam pó em milésimos de segundos se acontecesse aqui. Diante de tudo isso, o que somos? Por isso, larguemos a nossa soberba e sejamos humilde diante das pessoas, dos nossos familiares, cônjuge, amigos e colegas de trabalho ou de igreja.

Deus é misericórdia, mas também é justiça. Fará o rico soberbo perecer, enquanto o pobre humilde é exaltado. Isso me faz pensar, nos tempos de crise política que o país passa, sobre a corrupção. Pode acontecer de um pobre subir no poder pela sua humildade e, de repente, tornar-se mais um soberbo. O Senhor promete, pelo que podemos ver nas lectios que temos feito deste livro, que o soberbo não ficará impune. Assim como o rico soberbo que caiu, o pobre humilde que se tornou rico e soberbo cairá. O mais sensato é permanecermos com a moral, a ética e os bons costumes que já temos. Aliás, corromper-se é justamente mudar o que tínhamos de bom em algo ruim.

Os versículos do 7 ao 9 vem nos mostrar o poder da prudência. De fato, não podemos julgar ninguém antes de conhecer a história toda. E mesmo conhecendo a história toda, uma pessoa pode mudar de vida, se converter, e, então, não poderemos julgar, mas sim acolher aquela pessoa. Por isso é importante aprendermos a escutar sem interrupções. É importante ser acolhedor das palavras de quem nos fala. Certamente encontraremos ali um amigo, se soubermos ser esse amigo que ouve. Além disso, precisamos nos furtar de brigas e discussões alheias. Digo, por experiência que agora é pautada na palavra de Deus, que se intrometer em tal briga só causaria mais problemas e você passa a ser visto pelas partes como uma pessoa ruim. Ontem mesmo eu refletia sobre isso e o que vinha em meu coração era rezar imediatamente por aquelas pessoas, pedindo a Deus que seu Espírito Santo acalmasse o coração delas.

Por fim, a lectio de hoje termina nos guiando sobre nossos afazeres. Somos homens e mulheres limitados, nosso tempo é limitado. Se nos enchemos de coisas para fazer, não conseguimos dar conta, não conseguimos nos concentrar cem por cento no serviço atual. Não é bom nos dividir tanto, fazer muitas coisas ao mesmo tempo. Hoje chama-se isso de multitarefas ou multitask. Nem sempre conseguiremos nos doar totalmente ao serviço e aí entrará a nossa escolha. Por isso, é melhor fazer o essencial, do que se encher de coisas e deixar alguém chateado por não ter feito algo da melhor maneira. Talvez não seja nem o caso de deixar alguém chateado, mas num emprego isso é crucial para a sua permanência ou demissão na empresa. Por isso, aprendamos a dividir nosso tempo e não façamos mais do que podemos, assim nos ensina a palavra de Deus.
0