Lectio Diária: Mc 3,22-30


Aqui temos uma continuação das picuinhas dos mestres da lei, daqueles que se diziam os senhores e donos da lei de Deus. Ao meu ver, tudo o que eles sentiam por Jesus era inveja, pois eles mesmos não conseguiam fazer o que Jesus fazia: expulsar demônios. Por isso, inventavam história para tratar Jesus como alguém que veio para o mal. Veja que infelizmente isso acontece com algumas pessoas de algumas comunidades. Quando alguém se destaca com seus dons, logo aparecem os invejosos para escarnecer daquela pessoa. Contudo, julguem voz mesmos: quem está sendo mal nessa história? Aquele que, sentindo inveja, levanta uma calúnia? Ou aquele que tira os demônios?
Jesus gostava de falar em parábolas, pois através dessas histórias as pessoas entendiam melhor os sinais do Reino de Deus, pois o Cristo fazia uso de palavras do dia a dia daquelas pessoas. Ele iniciou logo com um questionamento: como o diabo poderia estar dividido consigo mesmo? Como alguém faz o mal e depois desfaz o mal que faz por puro capricho? Será que o inimigo de Deus não tem um objetivo concreto?
Jesus usa um exemplo de um reino. Quando se divide consigo mesmo, ele caí. Quando em um reino dois exército criam partidos e lutam internamente pelo poder, o Reino cairá. Muitos morrerão.
Outro exemplo que Jesus usou foi o da família. Nenhuma família consegue se sustentar sem um mínimo de respeito, amor, carinho, cuidado. O ideal era que toda família rezasse junto, pois a oração unifica os corações a Deus.
Jesus, com estes dois exemplos, mostra como o inimigo de Deus ruiria se estivesse divido contra si mesmo. Claro que um dia o inferno ruirá, mas a questão é que se o diabo estivesse dividido contra si mesmo, seria fácil vencer as forças do inimigo. Mas não é fácil, portanto o inimigo de Deus não está dividido contra si mesmo.
Jesus da o exemplo de que ninguém pode roubar uma casa de um homem forte sem antes amarra-lo. Assim é uma família unida: ninguém poderia fazer nenhum mal a ela sem amarra-la. Assim, um reino unido possui um exército muito forte, capaz de vencer grandes batalhas. Isso tudo me faz pensar que nós só definhamos por causa da nossa falta de unidade.
Neste versículo, após explanar sobre a divisão de si, declara que todo pecado será perdoado. Isso é uma alegria para os nossos corações, saber que todos os pecados que cometemos serão perdoados pelo Senhor. Isso é uma maravilha aos nossos olhos. Isso nos trás esperança de que tudo pode melhorar.
No entanto, Jesus mostra que existe um pecado que não será perdoado e é a blasfêmia contra o Espírito Santo. O Espírito Santo nunca nos deixa, nunca nos abandona. Basta dizer "vem, Espírito Santo" e uma infinidade de coisas acontecem entre o céu e a terra que noas leva a sermos iluminados por Ele, por esta pessoa da Santíssima Trindade que a bíblia também chama de Paráclito, defensor, advogado.
Portanto, não podemos nunca dizer que o Espírito Santo é um espírito mau que não nos ajuda, porque é uma mentira muito grande, uma blasfêmia tremenda e, segundo o Filho de Deus, um pecado imperdoável. O Espírito de Deus é Santo, e particularmente posso dizer que Ele faz grandes maravilhas todos os dias em minha vida, no meu trabalho, nas minhas decisões. Ele me auxilia sempre e sei que não me abandonará nas minhas próximas decisões. Confie você também no Espírito Santo de Deus, abra-se a Ele. Diga hoje: vinde Espírito Santo no meu trabalho, vinde Espírito Santo no meu namoro, vindo Espírito Santo no meu casamento, vinde Espírito Santo na criação dos meus filhos. Enfim, pense na sua necessidade mais profunda e convide: Vinde, Espírito Santo.
0