Eu me pergunto...

Eu me pergunto se uma pessoa gostaria de um dia ser chamada de alcoólatra. Me pergunto se essa pessoa gostaria de chegar em um ponto da vida que mesmo querendo parar de beber, ela não conseguisse. Me pergunto se essa pessoa quer passar como "exemplo" para seus filhos e netos essa mentira chamada "liberdade alcoólica". Me pergunto se ela gosta de ser manipulada, apesar de no seu "juízo perfeito" achar que é "dona do pedaço". Me pergunto se essa pessoa quer um dia terminar com sua vida da pior forma possível, com dores, amputamento de membros, perda de memória, dentre tantas coisas que minha limitação acadêmica não permite citar. Alguma coisa explica alguém querer ser uma marionete de um "litro de cana", de uma "gelada" na sexta, de uns 5% a 25% de álcool por copo? Será que uma pessoa livre é aquela capaz de dizer sim a tudo o que lhe oferecem? Ou será aquela capaz de dizer sim a tudo o que é bom e construtivo para sua vida e dizer não a tudo o que destrói? Me pergunto se essa pessoa tem a convicção de ser livre, quando na verdade não é. Me pergunto se essa pessoa acha que é dona de si mesma, e principalmente me pergunto se ela se pergunta sobre essas coisas. Me pergunto tudo isso até hoje e ainda não obtive uma resposta satisfatória suficiente para calar estes questionamentos interiores.

PS: Algo dentro de mim me faz crer que isso não vale só para a bebida alcoólica, mas para tudo o que nos tira de nós, de quem nós verdadeiramente somos.
0