Mas o que é mesmo amar?

Vi uma postagem no facebook que me intrigou. Ela possuía os seguintes dizeres:
Vamos pensar um pouco, em cada frase dita aqui.
"O que não me acrescenta, também não me faz falta."
De fato, na vida, somos pessoas sedentas, pessoas que precisam de outras pessoas. É uma necessidade humana nos relacionarmos uns com os outros. Uma pessoa que não se relaciona, normalmente não possui um juízo perfeito. Digo isso porque, pense comigo: quem nos ajuda a crescer e a melhorar como pessoa é o outro. Se não estou contando com o outro, então o que eu sou? Como estou crescendo na vida? O que nos faz falta, de fato, é o que soma. Esta é uma frase muito obvia, autoexplicativa.
"Corro atrás do que vale a pena"
Esta frase também é autoexplicativa. Mas é claro que devemos lutar pelo que vale a pena lutar, viver pelo que vale a pena viver. Por isso devemos procurar a pessoa de Jesus, porque por ele vale a pena lutar, vale a pena o esforço, porque é nele que se encontra toda a liberdade, toda a salvação e todo o verdadeiro amor. Porque o Senhor é fiel, constante e quer nos conquistar, ser nosso amigo.
"Amo e dou valor a quem me ama"
Essa foi a parte que achei esquisita. Quer dizer que só vou amar quem também me ama? Quer dizer que vou sempre esperar um "amor de troca"? Amar é dar sem esperar receber. Amor que espera algo em troca não é amor, é comércio.
Estou lendo um livro muito bom, cujo título é Como se dar bem com quem você quer bem, Marcio Mendes. E encontrei o seguinte nele:
"Uma pessoa pode esquecer suas palavras, mas nunca esquecerá como você a tratou no momento em que mais precisava do seu amor. (...) Os chineses têm um ditado a esse respeito: 'Ame-me quando eu menos merecer, pois é quando eu mais preciso'."
A melhor maneira de amar alguém é se colocar no lugar dela, se colocar no lugar das suas dores e perdas, e também das suas alegrias e conquistas. A grande questão aqui é quem somos. Será que eu sou uma pessoa assim, moldável, que diz amar porque o outro me ama, e não dou amor de maneira nenhuma a quem precisa? Será que este conceito de amor, que está na frase, não é um conceito retrógrado, egoísta? Daí passamos para a próxima frase:
"Um dia pensei que isso fosse egoísmo, hoje sei que é amor próprio"
Não é errado amar a si mesmo, até porque, muitas vezes, a referência que temos de amor aos outros é o amor a si mesmo. Muito embora precisamos mudar essa referência para a fonte de todo amor, que é nosso Senhor Jesus Cristo. Contudo, isso é tema para outra formação.
A questão aqui é: será que o amor excessivo a si mesmo, esquecendo-se dos outros, não é um amor doente? Não seria isso colocar a si mesmo no centro do universo?
Eu tinha uma professora de biologia no ensino fundamental que sempre dizia: tudo de mais faz mal. E eu peguei isso como um ensinamento para a vida. Sim, isso vale até para o amor em excesso, que pode, assim, deixar de ser amor e tornar-se escravidão, seja de si mesmo, seja dos outros.
Afinal de contas, quando estamos presos demais a nós mesmos ou aos outros, não somos livres e amor sem liberdade, desculpa dizer, não é amor.

Bom, é isso galera. Comentem, compartilhem, critiquem, adicionem. =D
Um abraço, fé em atitude para vocês!
0