A fruta do topo

Já ouvi inúmeras vezes aquela velha história que dizia “a fruta que está em cima é a mais gostosa, dá mais trabalho arrancá-la, mas a recompensa é o seu sabor”.
Fala-se essa velha história nas mais variadas situações, normalmente voltadas para o alcance de um sonho, um objetivo, ou até mesmo nos relacionamentos, quando se quer achar um amor.
Mas estava eu perdido em pensamentos e me deleitei no mundo das ideias, mais uma vez, com esta fatídica história. Então pensei: nossa, e essas frutas não apodrecem? Não caem no chão e, azedas, deixam de ser escolhidas por seja lá quem for?
Será que quando colocamos dificuldade demais nas coisas, não estamos apodrecendo? Perdendo oportunidades na vida?
Por outro lado, será que quando somos fáceis demais, não perdemos o sabor pela falta de maduridade? Não vivemos relacionamentos superficiais?
Será que não cabe o meio termo? Estar no meio, nem na copa, nem nos galhos mais baixos?
0