Vontade de Deus X Vontade do homem


Antes de ontem enquanto pedia a Deus por uma situação particular, me veio a passagem de Mateus 19, 9-12, que diz o seguinte:
"Eu, por isso, digo a vocês: quem se divorciar de sua mulher, a não ser em caso de fornicação, e casar-se com outra, comete adultério."Os discípulos disseram a Jesus: "Se a situação do homem com a mulher é assim, então é melhor não se casar." Jesus respondeu: "Nem todos entendem isso, a não ser aqueles a quem é concedido. De fato, há homens castrados, porque nasceram assim; outros, porque os homens os fizeram assim; outros, ainda, se castraram por causa do Reino do Céu. Quem puder entender, entenda."
Eu pude refletir em cima dela sobre a vocação de vida que somos chamados a viver neste mundo. Podemos ressaltar nela dois grandes pontos:
  1. O primeiro é que só quem pode entender sua vocação é você mesmo e Deus, só entende o chamado quem é dado a entender.
  2. O segundo ponto é que as pessoas vivem o celibato (significando aqui o homem castrado) de três formas: ou nasceram assim, foram chamadas desde o ventre de sua mãe (tomamos como exemplo Santa Rita de Cássia, que desde jovem queria ir para o convento); Ou os homens o fizeram assim, as pessoas lhe instigaram essa vocação, de tal forma que ela o fez não de todo livre arbítrio, mas forçada pelos pais, por familiares, por amigos, ou mesmo por pessoas que não nos conhecem e que "acharam" que devemos ser padre, ser freira, por exemplo (Mais uma vez, a vida de Santa Rita de Cássia se encaixa bem, porque se sentiu na obediência de se casar); e, por fim, há os que se celibataram por causa do Reino do Céu, por livre escolha. Percebemos que essa questão também se encaixa perfeitamente no outro lado da vocação de vida, que é o matrimônio. Alguns nasceram para o matrimônio, almejando desde criança; outros foram impulsionados pelas pessoas a se casar; e por fim os que escolheram o casamento pelo Reino de Deus, para a construção de uma família para a Igreja.
O grande questionamento que faço é: onde fica a vontade de Deus nisso? E onde fica a livre escolha que Ele mesmo nos deu? Até onde os homens forçarem as pessoas em suas vocações é vontade do homem e não é vontade de Deus?

Certa vez eu fiz leitura na liturgia da comunidade São Pedro Julião Eymard, há uns 5 a 7 anos atrás, e quando foi a hora do Pai Nosso, o padre não ficou no lugar que ele deveria e, como os leitores rezavam também em cima do presbitério, eu fiquei de frente pra Jesus Eucarístico no sangue e na carne, de mãos dadas com os que ali estavam (detalhe: eu usava bata branca). Logo após a missa, uma “santa iluminada” veio dizer que quando olhou pra mim, viu um padre, mas depois balançou a cabeça e era eu. Como posso tomar isso como sinal vocacional, se antes de tudo partiu de uma vontade puramente humana, confundida pela nossa mente que facilmente se deixa levar por ilusões? Eu guardei aquilo até que pudesse descobrir o que Deus realmente queria de mim, mas confesso que se acontecesse hoje, eu diria pra ela: "minha santa, Jesus está lá fora pedindo pão para comer, porque você não enxerga isso?"

Nós precisamos entender que Deus agi, antes de tudo, no silêncio do nosso coração, e não nos barulhos de pessoas que aparecem para se mostrar. Deus, que é onisciente, sabe perfeitamente o que se passa tanto no consciente, como no subconsciente de uma pessoa. Não há como fugir, não há como mentir para o Senhor.

Claro que não digo que Deus não possa usar as pessoas para nos dizer algo, nos comunicar sua vontade, mas acontece que muitas vezes quando Ele nos usa, nos deixamos levar pelas nossas vontades, pelo que queremos, e nisso o que acontece não é o uso total de nós como instrumentos de Deus, mas sim um uso pela metade, onde parte do que a pessoa está fazendo em nome de Deus é de fato de Deus e parte é dela mesma, do seu querer.

Precisamos nos policiar, porque senão corremos o risco de tirar uma pessoa de um caminho lindo que Deus tinha traçado pra ela.

Não consigo acreditar que nossos sonhos desmoronam porque Deus veio destruí-los, porque Ele nos chamou para algo e depois mudou de ideia. Isso seria como um pai malvado que da o chocolate para o filho, que prova do chocolate, e depois o pai toma, dizendo: "isso não é mais seu, você não terá mais o chocolate, e nunca poderá provar dele". Afinal de contas, Deus não é amor, como está em I João 4, 8? Porque Ele cometeria uma maldade dessas? Porque prometeria a barra de chocolate inteira e, depois de comermos um bloquinho, tomaria o resto para si? Isso me lembra um pouco a analogia de alguns ateus sobre Deus e o menino com a lupa matando formigas... Não faz o menor sentido. Quem destrói os nossos sonhos são pessoas vestidas de boas intenções, lobos em peles de cordeiro, como está em Mateus 7, 15, e não Deus.

Escute esse questionamento e guarde a resposta em seu coração: quem tem escolhido sua vocação? Deus e você, no livre arbítrio que Ele mesmo te deu, nessa mão dupla de diálogo que se chama destino; ou as pessoas, te escravizando em uma vida que não é tua? Isso me lembra o filme Matrix: temos de escolher entre a pílula vermelha e a azul, mas muitos preferem a ilusão da Matrix, preferem a azul...

Pra completar, reflitamos a frase do nosso arcebispo de Fortaleza, Dom José Antônio, na catequese para a juventude, pré-jornada mundial: "Vocação é onde você mais ama". Se o que eu quero para minha vida é algo que se encerra em mim mesmo, então isso não é vocação. Vocação é quando aquilo que somos chamados a fazer vem seguido da vontade de partilhar, de levar às pessoas os frutos desse chamado.

Por fim, digo apenas esta frase que me veio no momento em que escrevia esta formação: vocação que é vocação, a certeza parte do coração, e não de clamores esternos. Quem pede um sinal, tudo o que poderá ter é o sinal de Jonas, como Jesus diz em Mateus 12, 39. Deus chama, nós respondemos.

Deus abençoe, meus queridos e queridas, e obrigado Jorge Lucas, por me ajudar a voltar pra Deus, e minha namorada, Mayara, por me ajudar a entrar em conflito comigo mesmo para que eu pudesse questionar minhas atitudes e buscar um renovo em Deus. Sabe que isso só fez eu me apaixonar mais ainda por você, né? Fé em atitude a todos!
0