Todo homem é bom

Quem nunca ouviu aquele ditado "a que se planta, a que se colhe"? Ou mesmo aqueles mais elaborados "quem planta furacão, colhe furacão".
E já pensou isso nas nossas cabeças? Já pensou ficar pensando mal das pessoas?
Afinal de contas, o que vale, o que as pessoas vêem e acham, ou o que Deus vê e acha?
E acredite, meus amigos, Ele vê e sabe tudo!
Uma música do pe. Fábio de Melo trata disso muito bem:
Todo Homem é Bom Padre Fábio de Melo

Sim, todo homem é bom
Todo humano é bom
Toda face, olhar e matiz
Sim, todo homem é bom
Sendo ele o que for
Forte, fraco, tristonho ou feliz
Todos os pobres, os livres, os nobres
Os feios, os belos, os ricos também
Todos os desesperados
Os esperançosos
Os néscios, os sábios ou não

Todos por certo são bons!
Como é bom nosso Pai
Que criou cada jeito de ser
Todo semblante é bom
Todo instante é bom
Quando há vida e quando há viver
Todo o âmago é bom
Toda essência tem dom
De amar, ser reflexo de Deus
Mesmo que o mal ronde perto
E nos faça um deserto
Esse bem ficará
E uma gota do céu cairá

Sim, todo homem é bom
Todo humano é bom
Se ele sabe entregar-se num sim
Todo o sonho é bom e o futuro é bom
Se a esperança caminha aqui
Todo o justo, o crente, o descrente
O que sabe ser gente
E que sente a canção
Todo aquele que é jovem, o que é velho
O que foge do espelho, e o que olha
Nos olhos também

Todo o doente é bom
E também todo são
O que pede, o que dá e o que não
Todo indigente é bom
E também quem tem dom
Que tem tudo ou nada ao sol
Todo alegre é bom
Todo triste também
Se olha a vida e aceita o amor
Todo valente, o covarde, o contente
O sério e o sonhador
Todo sério e o sonhador

Sim, todo homem é bom
Todo humano é bom
Se ele sabe entregar-se num sim
Todo o sonho é bom
E o futuro é bom se a esperança caminha aqui
Todo o que reza, o que pede
O que implora
Aquele que chora e o que vive tão bem
O que separa o erro de quem fez errado
E aos pecados dá fim
E enxerga em verdade o que é bom
Ou seja, galera, por mais que nós queiramos mostrar para as pessoas que pensamos bem, o importante, é o que fazemos, como diz o evangelho deste domingo: o filho que fez, que agiu, foi exatamente o que disse não para o seu pai.
Será que estamos dizemos sim por ai e não fazemos? Ou, pelos menos, fazemos, mesmo tendo dito não antes?
Acho que o importante é isso, a intenção do coração.
Acredito que aquele filho, depois de uma bela pensada "não, ele é meu pai, preciso ajuda-lo", se arrependeu e fez o que era necessário.
Estamos fazendo o necessário aos olhos de Deus (e pensem bem, de Deus, não dos homens...)?!

Um abraço galera, fé em atitude!
0