Corpus Christi

Caminhávamos juntos naquela noite de quinta-feira de Corpus Christi, além de cantarmos ao Senhor, que nos acompanhava no mistério da eucaristia.

A benção foi na gruta de Nossa Senhora, na capela de São Pedro Julião Eymard e na capela de Nossa Senhora das Graças. Muitos se juntavam em grupos, mas formavam um só povo, um só coração, como o rapaz que animava havia dito (isso me lembrou até de uma música do Ceremonya, um só coração).

Mas um grupo em particular me chamou muita atenção: aqueles que não estavam na procissão. Via muitos olhares curiosos, outros até se alegravam conosco sem contudo nos acompanhar (aliás, não sei ao certo se alguém entrou depois...).

E, ao passar pelo final da rua onde moro, vi um de meus amigos, ele fazia parte desse grupo separado, comia alguma coisa, talvez salgadinhos. Eu o seguia com os olhos, mas ele nem percebeu, creio eu. Não tive coragem de chama-lo, não sei ao certo porquê.

Depois daquele momento, fiquei pensando o resto da caminhada e no fim das contas lembrei da passagem "porque muitos são os chamados, e poucos os escolhidos" (Mateus 22, 14). Quer dizer, para se ser escolhido deve-se haver uma pré-disposição de nós mesmos em escolher seguir. Ser escolhido não é somente ser chamado, mas cumprir o chamado proposto.

Abraço, Deus abençoe a todos!
0