Entrevista no orkut? Moral, regras e responsabilidade

Ao dar parabéns a um amigo, que estava aniversariando, através do orkut, fui questionado de algumas coisas, vamos lá:
Quero saber como a moral define o ser humano??
Depende do ponto de vista, pois muitos dizem que a moral é como amarras que fazem o ser viver algo que é pré-determinado pela sociedade, o que não é verdade.

Antes de continuar, agente tem que entender que as vezes, para sermos livres, precisamos nos ater a algo. Quem quer viver, terá de perder sua vida. Nem todos são capazes de entender o que isso significa, mas explicando em outras palavras: numa sociedade onde não há regras, com certeza a vivencia dela será comparável a estrutura natural de animais selvagens. O que faz um homem um ser social é exatamente a moral, a ética, a família e, o principal, o Amor (isso, maiúsculo mesmo).

Agora, posso chegar ao principal: como a moral define o ser humano? Ela define dentro do nível de aceitação das pessoas. O como nesse caso é muito relativo, pois se acreditamos que, em termos de moral, seremos melhores, automaticamente ganhamos, a partir de tudo o que aprendemos e que é reto (justo), bom senso sobre as coisas e nos tornamos seres mais sociáveis e éticos. O como, por fim, seria o seu (o nosso) buscar justiça, não a justiça vingativa, mas a justiça humana e sadia.
Minha afirmação sobre o que se questiona:
Fomos aprendendo a se habituar com regras ou sermos liberais com nós mesmos...
Muito complexo, pois envolve a personalidade e os comportamentos humanos...
Na verdade as vezes colocamos muros onde não existem. Habituar com regras, como eu ti falei, é a mesma coisa de ser liberal. A verdadeira liberdade esta na felicidade. Como você pode dizer que é livre mas não é feliz? Impossível. A não ser que o sentido de liberal proposto por ti seja a libertinagem, porque muitas vezes acontece de confundirmos liberdade com libertinagem... Aew já é outra história!
Será que o mundo vive sem as regras?
O mundo não existiria se não fossem as "regras"...
Ponho aspas porque eu digo regra no sentido de a palavra.
Se estudarmos o mecanismo de uma célula do nosso corpo, entenderemos que ela passa por certas "regras" que mantém seu bom funcionamento. Acredito que isso se encaixe igualmente ao mundo.
Você axa que a personalidade humana tem algo que a limita?
Essa foi a mais simples de responder: não. Basta olhar em volta as coisas boas e más que são criadas. Tem uma frase que não me lembro bem que fala sobre a velocidade do pensamento, que com ele nós podemos estar do outro lado da galáxia em menos de 1 segundo...
Até que ponto mundo viveria sem os preceitos religiosos? fé x ciência:quem explica melhor a existência humana? você axa que liberdade de escolha interfere na inserção da socialização? justifique....

Primeira Pergunta:
Antes de responder, vou levantar algumas questões:
1º: A ciência nunca viveu separada da fé, mas sim unida. Onde a ciência para, a fé continua. Além disso, se não houvesse o acreditar do homem que existisse algo além de tudo o que nós vivíamos no passado, porque ele iria procurar conhecer? Porque ele iria criar? Se você não acredita que depois da montanha tem um vale bonito e cheio de árvores frutíferas, qual o sentido de passar pelo perigo de atravessa-la?
2º: Religião não é a mesma coisa que Igreja. Uma denominação pode ser religião, mas pode ser que não seja igreja (sinônimo de unidade), mas toda igreja é uma religião.
Agora respondo, reformulando a tua pergunta: Até que ponto o mundo viveria sem uma igreja? O mundo não viveria, estaríamos na idade da pedra lascada ainda, meu amigo. Ser igreja é ser unido em Cristo, se não somos igreja, somos desunidos, não somos de Cristo, que pregava exatamente essa unidade que agente engatinha pra alcançar. Te garanto com toda a certeza que o mundo seria um campo de guerra pior se nossa amada Igreja não estivesse lutando por unidade desde que foi fundada por Jesus Cristo.

Segunda pergunta:
Mais uma vez digo: a fé anda de mãos dadas com a ciência. Se você pegar a parte do gêneses, na bíblia, e ler ao pé da letra, não vai entender nada, aliás, vai sair com uma má interpretação das coisas. Adão vem de Adamar, que significa humanidade. Então a bíblia diz: Deus criou Adão, ou seja, criou a humanidade. Como ele criou? Essa parte cabe a ciência explicar, entendeu? A bíblia não explica, ela só diz que aconteceu. E, cá entre nós, você não acha que a evolução das espécies não parece uma espécie de modelagem até chegar em nós, como diz a bíblia que Deus nos modelou do barro (Gêneses 2,7)... Mas isso é só especulação, afinal a Verdade não pertence a mim...
Bom, mas enfim, quem explica a existência humana são ambos, de mãos dadas, num tem essa de quem explica melhor ou pior. Se faltar o dedo da fê na explicação da humanidade, ela não passará de hipótese, e se faltar o dedo da ciência, nós até poderíamos entender, mas não compreenderíamos a mecânica de nossa existência. A ciência morreria se não houvesse fé.

Terceira pergunta:
Como já ti falei uma vez, depende de que liberdade estamos falando, pois as vezes nós confundimos liberdade com libertinagem. Vou responder nos dois sentidos.
Falando-se de libertinagem, sim ela interfere, pois no momento que fazemos aquilo que nos vem na telha sem passar por um filtro consciente de moral, do que é certo ou errado, nós acabamos, em algum momento, machucando as pessoas e a nós mesmos. Isso destroe qualquer intenção de socialização que possa existir. Falando-se de liberdade, não interfere, pois, no momento que fazemos escolhas conscientes, usando o filtro da moral, do que é certo ou errado se fazer, então não machucamos as pessoas e a nós mesmos, ao contrário, a partir das boas práticas criamos vínculos sociais, unidades, e vivemos verdadeiramente o que foi proposto por Cristo: a verdadeira igreja.

o que significa p/ você realmente o sentido da independência na contextualização que definem os seres humanos?
Isso toca um pouco na ultima pergunta que tu me fez, sobre liberdade. Sempre que você ferir alguém, no contexto do que é certo ou errado, não há independência, pelo contrário, haverá prisão. Estamos falando da cela do egoísmo, do egocentrismo. Não adianta independência nenhuma se você a faz sozinho. Os EUA, mesmo com suas diferenças, se unirão e venceram e são o que são hoje, com seus defeitos claro, mas te dou esse exemplo pra que você entenda que a verdadeira independência é aquela que você faz junto com todos.

Agora, creio que a grande independência que podemos fazer dentro de nós mesmos é a das coisas, a dos objetos. Muitas vezes somos escravos do dinheiro e das máquinas, das novelas e dos filmes, mas afinal, quem dita: você ou essas coisas? A verdadeira independência, por mais que você não entenda, é ser escravo de Deus.


P.S.: Olhem esse texto, muito interessante e fala muito sobre o que foi questionado: Igreja, Estado e conveniência
2