O bolo

Em uma certa praça que fica no centro da cidade, existe um vendedor de bolos que sempre fica no mesmo local fazendo sua freguesia.


Sendo um bom rapaz, o vendedor possui um bom humor insuperável e uma sabedoria de fazer inveja a grandes mestres.

Uma certa vez, um comprador mal humorado e metido a rico, por usar um terno de grife, comprou um pedaço daquele delicioso bolo e, tropeçando ao sair, derruba o aperitivo no chão.

Sem hesitar, o bom rapaz pega o bolo do chão, joga-o dentro de um saco, guarda-o e diz: "esse aqui é pro meu cachorro, tome outro bolo, senhor."

Vendo a boa vontade daquele vendedor, o comprador ignorante jogou o bolo no chão e disse: "e agora, vai me dar outro?"

O bom moço respondeu: "aqui está mais um para você, e este aqui do chão é pro meu cachorrinho."

Mais uma vez aquele homem sem noção joga o bolo no chão e, sem nem pensar duas vezes, o vendedor entrega outro bolo.

A situação vai se repetindo até acabar os bolos. O arrogante comprador fala cheio de si: "E agora, você não tem mais bolos para me pagar o prejuízo, como vai pagar o seu?"

O vendedor, com um sorriso singelo, responde: "O prejuízo foi pago com a sua satisfação em destruir meus bolos. Eu existo para a felicidade dos outros. Destruir-se meus bolos ti fez feliz, então isso me agrada muitíssimo."

Moral: As vezes as pessoas fazem certos sacrifícios para nos fazerem felizes e nós nem ligamos...

Por Adriano Pontes
P.s.: a moral foi tirada de outro lugar, mas não me recordo de onde.
0